Destaque

Servidoras(es) aprovam em Assembleia que SINDSERM faça pedido de prisão de Firmino Filho (PSDB)

Escrito por SINDSERM THE

Durante a Assembleia Geral ocorrida na manhã desta terça-feira (13), a categoria tratou das pautas: Informes, Reajuste Salarial e Mudanças de Níveis, precatório do FUNDEF, Campanha Cai Fora, Montezuma!, pedido de prisão do prefeito de Teresina, Firmino Filho (PSDB) e Greve Geral por tempo indeterminado. Em votação, foi deliberada a autorização para que o SINDSERM entre com pedido de prisão do prefeito.

Foram repassados os informes das discussões ocorridas na reunião da coordenação nacional da CSP-Conlutas, realizada em São Paulo-SP entre os dias 9 e 11 de junho, com participação de membros da diretoria. Em acordo com a deliberação nacional, o SINDSERM irá construir a Greve Geral das(os) Trabalhadoras(es) no dia 30 de junho, contra as reformas do Governo Temer. Sobre o setorial de Saúde do Trabalhador, a assessoria de comunicação irá disponibilizar em suas mídias, a cartilha da central que trata sobre a questão.

A revisão geral anual não foi cumprida e os secretariados da PMT continuam omissos com relação as (aos) servidoras(es). O acúmulo de perdas de 43,25% nos salários foi informado oficialmente mas ainda não foi apresentada proposta de reposição e reajuste.

Precatório do FUNDEF | O SINDSERM conquistou, em via judicial, o bloqueio da conta que saiu na data de ontem (segunda-feira, dia 12). Foram encontradas diversos indícios de mau uso do dinheiro do FUNDEF (resumo será publicado). O SINDSERM obteve, mediante ofício, o extrato da conta do FUNDEF que tinha R$ 210 milhões e seiscentos mil reais depositados em 2016. Por ordem do TCE-PI, ainda na segunda-feira (12), a conta referente ao FUNDEF foi bloqueada e o município fica impossibilitado de fazer movimentações. De acordo com as descrições do extrato, foram realizadas transferências online sem identificação em torno de R$ 111 milhões, sendo R$ 47 milhões em ordens bancárias, R$ 114 mil para outros bancos, R$ 30 mil e seiscentos para contas de telefone, mais de R$ 708 mil para cepisa, e outros diversos valores. O SINDSERM já acionou todos os órgãos competentes para investigarem as ações realizadas na conta pertencente ao magistério municipal.

Uma Greve Geral no município poderá ser deflagrada, caso não haja nenhuma resposta da PMT às demandas apontadas pelos servidores e o impasse continue em relação ao reajuste anual. No dia 30 de junho, o SINDSERM irá realizar uma nova Assembleia Geral, a partir de 8h, no Teatro de Arena que irá decidir pelo movimento por tempo indeterminado. Na mesma data, os servidores estarão em conjunto com outros setores e centrais sindicais construindo a Greve Geral nacional contra as reformas trabalhistas e previdenciária.

Sobre o autor

SINDSERM THE

Sindicato das(os) Servidoras(es) Públicas(os) Municipais de Teresina

Deixe um Comentário