Destaque

Mesa de debate trabalhou o tema “A luta das Mulheres contra a violência e o enfrentamento ao feminicídio”

Escrito por SINDSERM THE

A mesa de debate “A luta das Mulheres contra a violência e o enfrentamento ao feminicídio” contou com as contribuições de três mulheres abordando o tema nas perspectivas do movimento feminista, do Direito e da assistência em saúde. A mesa foi composta pela servidora municipal, Assistente Social do HUT e mestre em Sociologia pela UFPI, Alba Valéria de Sousa Batista; pela estudante de Direito, militante do movimento RUA-Juventude Anticapitalista e secretária estadual de Mulheres do PSOL, Letícia Lima; e pela advogada e assessora jurídica do Sindicato das(os) Servidoras(es) Públicas(os) Municipais de Teresina (SINDSERM), Ariadne Farias.

Durante a abertura do evento, foi exibido um vídeo elaborado pela Assessoria de Comunicação do SINDSERM em memória do 8 de março, destacando o dia de Greve Internacional das Mulheres Trabalhadoras, os atos dos quais o SINDSERM participou e os olhares de mulheres sobre a luta pela igualdade e contra as opressões. Para assistir ao vídeo, acesse o canal do SINDSERM no Youtube pelo endereço: https://www.youtube.com/watch?v=-xWV-zmqAzo.

A diretora de assuntos intersindicais da entidade, Francilene Nascimento, falou sobre como o Março Lilás envolveu atividades de resgate das lutas das mulheres trabalhadoras e teve como objetivo o fortalecimento do Coletivo de Gênero e Classe do SINDSERM. “Nossa programação buscou incorporar vários aspectos para as lutas, desde nossa Assembleia onde fizemos as denúncias contra a gestão do prefeito Firmino Filho (PSDB), o ato de denúncia contra o feminicídio que realizamos em frente ao Palácio da Cidade e este debate muito importante para nós”, disse.

Em sua exposição, Alba Valéria relatou sua experiência como assistente social e a necessidade de humanização nos atendimentos em saúde, além da capacitação dos profissionais para a assistência às mulheres vítimas de violência. “Ajudar mulheres a perceber-se como vítima de uma situação de violência já é um avanço. Nosso papel é tentar um direcionamento e levar a essa reflexão”, afirma Alba.

“Nossa sociedade vive um abismo de poder entre homens e mulheres. E por isso existir, nós precisamos ainda ter leis específicas sobre violência contra as mulheres”, disse a advogada Ariadne Farias. Ela abordou as características da Lei Maria da Penha e a qualificadora penal do feminicídio. “Ainda precisamos avançar, educar a sociedade e conscientizar as pessoas de que não dá mais para ficarmos assim. Espero muito que cheguemos em um dia que não vamos mais precisar falar sobre isso”, pontuou a assessora jurídica do SINDSERM.

Encerrando as intervenções da mesa, Letícia Lima, falou da construção histórica de uma visão patriarcal na sociedade e sobre os papéis destinados à mulher nessa configuração também de ordem capitalista. “O capitalismo se beneficia da opressão de gênero. Existe um projeto social, político e econômico que se beneficia da opressão e exploração das mulheres”, disse. Ela também parabenizou a iniciativa do Coletivo de Gênero e Classe do SINDSERM. “Temos que reunir as nossas diferenças, falar sobre elas, mas também estarmos unidas em momentos como esse. Precisamos de uma luta feminista forte”, concluiu.

Março Lilás

Continuando a programação do Março Lilás nesta quinta-feira (15) será realizada a aula inaugural do curso “Autodefesa para Mulheres”, voltado para servidoras municipais, a partir das 18h30. Será na Academia Smart Training, na Rua Areolino de Abreu, nº 1781, Centro.

No dia 20 de março ocorrerá um Café Debate com tema: “Eu, enquanto mulher, militante, sujeito político e a inserção das mulheres na sociedade e seu protagonismo”. O encontro está marcado para 8h, na sede do SINDSERM.

Sobre o autor

SINDSERM THE

Sindicato das(os) Servidoras(es) Públicas(os) Municipais de Teresina

Deixe um Comentário