Notícias

Professora grávida tem plano de saúde cancelado por Firmino Filho (PSDB) como vingança pela participação na GREVE. SINDSERM fez protesto no IPMT

Escrito por SINDSERM THE

Na manhã desta quinta-feira, 12, a categoria realizou um ato público em frente ao prédio do Instituto de Previdência do Município de Teresina (IPMT) para reivindicar respeito com o direito à saúde e contra as perseguições políticas. A manifestação foi motivada principalmente após os graves casos de constrangimento sofridos por servidoras(es) que tiveram suas assistências à saúde canceladas por um único motivo: estar na luta e construção da Greve da Educação Municipal, que ocorre desde março deste ano e Firmino Filho se recusa a negociar.

Durante a manifestação o sindicato recebeu mais uma denúncia. Desta vez foi uma professora grávida que teve negado o seu direito de acesso a exames e consultas NEGADO pelo fato de estar participando do movimento grevista que luta pelos sete meses de retroativo do Piso do Magistério, concessão de mudanças de nível e titulação para todos os que tem direito e com efeito retroativo, eleição para Direção em todas as escolas e CMEIs e direito de participação em seis assembleias anuais.

A política de truculência do PSDB de Firmino Filho, tem atacado diretamente a categoria que permanece em luta e denúncia as retaliações e ilegalidades cometidas pela gestão. Após o constrangimento das cinco professoras em hospitais e clínicas da capital e que tiveram que recorrer a entidade sindical para garantir o seu direito, a Diretoria do SINDSERM alertou que irá registrar Boletins de Ocorrência caso o atendimento à saúde seja negado.

A categoria também exigiu o retorno do repasse à Previdência de 20% referentes a contribuição do empregador, para que não inviabilize o pagamento das aposentadorias do regime próprio de previdência. Firmino reduziu a contribuição da Prefeitura para 14%, sob pretexto de redução de receita com a pandemia, o que pode prejudicar o equilíbrio financeiro e o pagamento das futuras aposentadorias.

Sobre as perseguições e cancelamentos da assistência à saúde o SINDSERM registrará os Boletins de Ocorrência e denunciará à Comissão de Direitos Humanos da OAB e ao Ministério Público.

 

Sobre o autor

SINDSERM THE

Sindicato das(os) Servidoras(es) Públicas(os) Municipais de Teresina

Deixe um Comentário